Imagem card

Boa Viagem Revisitado (Bairro, Recife)

Aproximadamente ao longo de oito quilômetros de praia, foi se desenvolvendo o bairro, que era utilizado como área de veraneio para as famílias, uma vez que sua água era agradável para o banho.

Boa Viagem Revisitado (Bairro, Recife)

Última atualização: 19/07/2021

Por: Eliara Miranda - Professora da Escola Professor Manoel Torres,
Mônica Abrantes - Professora da Escola Professor Manoel Torres,
Sueli Nascimento - Professora da Escola Professor Manoel Torres
Isabela Cabral de Melo Dantas Pirauá - Historiador e Pesquisador

O bairro de Boa Viagem encontra-se situado na zona sul da cidade do Recife. É um bairro com uma área de 753 hectares e habitado por 122.922 moradores, de acordo com o censo demográfico de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

É considerado um bairro de classe média alta e de grande especulação imobiliária, sendo um dos metros quadrados mais valorizados da região.

 

Boa Viagem faz fronteira ao sul com o bairro de Piedade, ao norte com o bairro do Pina, a leste com o Oceano Atlântico e a oeste com os bairros de Setúbal e da Imbiribeira.

 

Segundo o historiador Leonardo Dantas Silva, “a povoação da Boa Viagem tem seu início no século XVII, devido à existência de algumas vendas que serviam de local de descanso dos viajantes que por ali transitavam vindos do caminho do sul da Capitania de Pernambuco” (SILVA, 2007).

 

Essa movimentação dos navegantes e viajantes na região deu a identidade do bairro, sendo um local favorável, por sua extensão litorânea.

 

Em 6 de junho de 1707, o Sr. Baltazar da Costa Passos e sua esposa, a Sra. Ana de Araújo, que residiam no Recife, fizeram uma doação ao padre Leandro Camelo, morador de Prazeres, de um espaço de terra com o objetivo de construir uma capela para celebrar missas. Quando construída a capela, foi nomeado pelo bispo um sacerdote que recebeu de presente uma imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem, padroeira dos navegantes e viajantes, o que foi um marco muito importante para a origem do bairro.

 

Aproximadamente ao longo de oito quilômetros de praia, foi se desenvolvendo o bairro, que era utilizado como área de veraneio para as famílias, uma vez que sua água era agradável para o banho.

 

“Nada mais natural que o fato de no Recife haver gente que adore a água. A cidade pode-se dizer que saiu de dentro da água como uma Iara. O rio está ligado da maneira mais íntima à história da cidade. O rio, o mar e os mangues” (FREYRE, 2007, p. 82).

 

A construção da Avenida Boa Viagem, a passagem da Estrada de Ferro do Recife a São Francisco e a proximidade do Aeroporto dos Guararapes contribuíram para o desenvolvimento e povoação do bairro. Assim, intensificou-se a construção de edifícios ao longo da Avenida construída com mais ou menos seis mil metros de asfalto. Pode-se destacar algumas grandes edificações da década de 1950, tais como: o Califórnia, o Acaiaca e o Holiday, que serviam como local de veraneio para os frequentadores da praia de Boa Viagem.

 

Ressaltam-se, ainda, outras edificações que se destacaram durante o desenvolvimento do bairro, como a Casa Navio, moradia particular, e o Hotel Boa Viagem, que possuía 100 apartamentos de frente para o mar, ambos já extintos; e o Castelinho, que hoje, devido à iniciativa privada, se mantém na paisagem da Avenida.  Estas edificações históricas são referências modernistas que inspiram até os dias de hoje as novas construções.

 

Por ser Boa Viagem um bairro socioeconômico de destaque na cidade do Recife, é importante citar as avenidas Conselheiro Aguiar e Domingos Ferreira, que contribuem paralelamente, junto à Avenida Boa Viagem, com o desenvolvimento de inúmeros estabelecimentos comerciais, empresariais e prédios residenciais. São avenidas que possuem intenso tráfego de automóveis, que circulam diariamente em direção ao centro e a outras áreas do Recife.

 

Devido a essa expansão populacional, surgiu a necessidade de novas vias para facilitar a rota de veículos que circulam diariamente pelo bairro, como exemplo, a Via Mangue, uma construção inaugurada em janeiro de 2016, com aproximadamente nove quilômetros de extensão.

 

O Aeroporto Internacional do Recife (Guararapes/Gilberto Freyre), construído na década de 1950, tem proporcionado movimentação de passageiros domésticos e internacionais e intensificado a economia do bairro.

 

No âmbito do lazer, Boa Viagem conta com o Shopping Recife, que foi uma construção inovadora na década de 1980 e que se destacou com uma visão comercial moderna, impulsionando e estimulando novos empreendedores para construção de centros comerciais na região metropolitana, contribuindo, assim, com o aumento da oferta de novos empregos no bairro.

 

Pode-se citar também o Parque Dona Lindu, que foi uma homenagem a Eurídice Ferreira de Melo, a mãe do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Ganhou fama e popularidade extensiva em toda a cidade, por oferecer uma área construída de 27.166,68m² de puro lazer e diversão aos frequentadores. Quem visita esse Parque, localizado na Avenida Boa Viagem, tem o prazer de usufruir, não somente de um espaço contemporâneo de lazer, entretenimento e cultura, como também deslumbrar-se com a beleza natural da praia de Boa Viagem.

 

Sem dúvida, o bairro de Boa Viagem tem a praia urbana mais famosa de todo o Estado, sendo considerada o principal cartão-postal do Recife.

 

Atualmente, o bairro é uma influência no desenvolvimento sustentável, contando com ciclovias na maioria de suas ruas, fator este que contribui para uma melhor mobilidade urbana. Com essas ações, que visam a melhor qualidade de vida para a sua população, o bairro continuará sendo exemplo de respeito à cidadania.

 

 

Recife, 26 de novembro de 2019

 

 

* Este texto faz parte do projeto Interagindo com a História do Seu Bairro, uma parceria da Fundação Joaquim Nabuco com o Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores.

Fontes consultadas

CASTRO, Raíssa. Boa Viagem ao longo do século. O Berro: publicação do curso de jornalismo da Unicap, Recife, dez. 2014. Disponível em: http://www.unicap.br/oberro/mudanca/?page_id=54. Acesso em: 2 de set. de 2019.

 

CENSO Demográfico, 2010. Resultados do universo: características da população e domicílios. Disponível em <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em 2 de set. de 2019.

 

FREYRE, Gilberto. Guia prático, histórico e sentimental da cidade do Recife. 5. ed. São Paulo: Global, 2007.

 

GASPAR, Lúcia. Bairros do Recife. In: Pesquisa Escolar. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2017. Disponível em: https://pesquisaescolar.fundaj.gov.br/pt-br/artigo/bairros-do-recife. Acesso em: 24 de ago. de 2019.

 

PRAIA de Boa Viagem. In: Wikipédia. [São Francisco: Wikimedia Foundation, 2019]. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Praia_de_Boa_Viagem. Acesso em: 20 de set. de 2019.

 

SILVA, Leonardo Dantas. Boa Viagem (Bairro, Recife). In: Pesquisa Escolar. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2007. Disponível em https://pesquisaescolar.fundaj.gov.br/pt-br/artigo/boa-viagem-bairro-recife/. Acesso em: 13 de set. de 2019.

 

Como citar este texto

MIRANDA, Eliara; ABRANTES, Mônica; NASCIMENTO, Sueli; PIRAUÁ, Isabela Cabral de M. Dantas. Boa Viagem Revisitado (Bairro, Recife). In: Pesquisa Escolar. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2019. Disponível em: pesquisaescolar.fundaj.gov.br/pt-br/artigo/boa-viagem-revisitado-bairro-recife/. Acesso em: dia mês ano (Ex.: 6 nov. 2021).