Imagem card

Patativa do Assaré

Data Nasc.:
05/03/1909

Ocupação:
Poeta, Compositor, Cantor
 

Patativa do Assaré

Última atualização: 13/05/2021

Por: Rúbia Lóssio - Coordenação dos Estudos das Culturas Populares da Fundaj - Doutora em Sociologia

Antônio Gonçalves da Silva nasceu no dia 5 de março em 1909, no Sítio de Serra Santana, em Assaré, sertão do Ceará.

Ficou órfão aos oito anos de idade. Aos quatro já havia perdido sua vista direita devido a uma doença. Viveu como agricultor e poeta.

Casou-se, em 1936, com Dona Belinha com quem conviveu durante 56 anos e teve nove filhos, dos quais sete estão vivos.

O apelido de Patativa do Assaré lhe foi dado por analogia com a mais canora ave da região do Cariri. Seus dotes poéticos revelaram-se precocemente e, ainda criança, Patativa do Assaré já fazia versos de gracejos para os camponeses e poema satíricos de forte conteúdo social.

Aos 16 anos, comprou uma viola e iniciou-se na arte do ponteio e improvisação de versos. Seu canto forte e profundo está impregnado na terra sertaneja. Sua principal temática era a seca, a terra onde vivia, mas também fazia poesias bem-humoradas, contando histórias da vida sertaneja.

Apesar de só ter estudado durante quatro meses na sua vida, era um grande poeta e possuía o título de doutor Honoris Causa em várias universidades. Questionado sobre se a poesia literária era superior à poesia popular, respondia:

[...] para provar que, mesmo sem o estudo, eu faço o que quero, por que Deus é quem quer, não sou eu. Aí eu faço verso também de forma erudita

Também falava de política. Durante o regime militar, condenava os militares e por isso chegou a ser perseguido. Em 1984, participou da companha das Diretas-Já. Num dos seus poemas, Inleição direta 84 fala assim sobre o tema:

Bom camponês e operaro
A vida tá de amargá
O nosso estado precaro
Não há quem possa aguentá
Neste espaço dos vinte ano
Que a gente entrou pelo cano
A confusão tá compreta
Mode a coisa miorá
Nós vamo bradá e gritá
Pela inleição direta


Patativa nasceu e viveu sempre em Serra de Santana, de onde se ausentou apenas uma vez quando, aos 20 anos, passou quatro meses no Pará. Viveu cantando o esperançar de sua gente. O maior evento de Assaré era a festa do seu aniversário.

Seu primeiro livro Inspiração nordestina foi publicado em 1956. Em 1964, Luiz Gonzaga ao vê-lo recitar A triste partida, decidiu musicá-lo tornando-o conhecido por todo o pais.

Morreu no dia 8 de julho de 2002, em sua casa, aos 93 anos devido à falência múltipla dos órgãos, após ter sofrido de pneumonia dupla, infecção na vesícula e problemas renais.

Foi enterrado às 17h, no cemitério São João Batista em sua cidade natal.

Seus principais poemas são: Vaca Estrela e Boi Fubá, Triste partida, Casinha de palha, Lamento nordestino, Cabra da peste, Retrato do sertão entre outros.

Eu sou filho do Nordeste, não nego o meu naturá,
Mas uma seca medonha me tangeu de lá pra cá.
Lá eu tinha o meu gadinho, num é bom nem imaginar,
Minha linda Vaca Estrela e o meu belo Boi Fubá.
Quando era de tardezinha eu começava aboiar.?
Vaca Estrela e Boi Fubá

Tem muita beleza minha boa terra
Desde do vale à terra,
Da praia ao sertão.
Por ela eu me acabo, dou a própria vida,
Terra querida do meu coração.
Meu berço adorado tem bravo vaqueiro
E tem jangadeiro que domina o mar.

Eu sou brasileiro, filho do Nordeste,
Sou cabra da peste, sou do Ceará.
Cabra da Peste

 


Recife, 15 de julho de 2003.

 

Fontes consultadas

O LEGADO: memória: os versos que brotavam da alma. Jornal do Commercio, Recife, 14 jul. 2002. Cad. C.

MORRE Patativa do Assaré. Jornal do Commercio, Recife, 9 jul. 2002. Brasil, p.6.

PATATIVA do Assaré. [Foto neste texto]. Disponível em: https://mscamp.wordpress.com/2010/02/10/patativa-do-assare/. Acesso em: 19 mar. 2018.

PROJETO Cultural do Banco do Estado do Ceará. Fortaleza, 1985.

 

Como citar este texto

LÓSSIO, Rúbia. Patativa do Assaré. In: Pesquisa Escolar. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2003. Disponível em: https://pesquisaescolar.fundaj.gov.br/pt-br/artigo/patativa-do-assare/. Acesso em: dia mês ano. (Ex.: 6 ago. 2009.)