Imagem card

Hermeto Pascoal

Data Nasc.:
22/06/1936

Ocupação:
Polinstrumentista, Compositor

 

Hermeto Pascoal

Artigo disponível em: ENG ESP

Última atualização: 18/04/2022

Por: Virgina Barbosa - Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco - Especialista em Biblioteconomia e História

O mundo da música instrumental nunca mais foi o mesmo desde que Hermeto Pascoal surgiu com seu estilo único e genial de música de boa qualidade que extrai de artefatos como enxadas, foices, garrafas, machados, chaleiras, brinquedos de plástico, bacias e até grava piados e grunhidos de animais. Autodidata, Hermeto procurava sempre pesquisar, estudar e experimentar novos sons de elementos mais inusitados. Conta-se que, numa determinada ocasião, ele colou fita adesiva nas teclas do piano para dele conseguir tirar o mesmo som emitido por um pássaro, e que era comum ele levar animais para dentro do estúdio de gravação para utilizá-los em suas produções musicais.

Este polinstrumentista (toca piano, sax alto, bateria, escaleta, flauta, violão, contrabaixo, bombardino, sanfona), reconhecido internacionalmente, escreve até partituras para a Sinfônica da Alemanha, é um brasileiro, nordestino, de origem humilde. Nasceu em Lagoa de Canoa, município de Arapiraca, estado de Alagoas, em 22 de junho de 1936. Veio de uma família de pequenos lavradores e só não teve o mesmo fim por ser albino (aquele que tem albinismo, ou seja, o indivíduo ou animal que é incapaz de fabricar um pigmento denominado melanina, do grego melan, negro, que dá cor à pele e protege da radiação ultravioleta tanto do Sol como de qualquer dispositivo artificial. Os albinos têm dificuldade de enxergar em lugares muito claros e podem sofrer queimaduras por radiação solar muito facilmente).

Desde cedo demonstrou ter aptidões musicais: já com oito anos tocava flauta e sanfona. Aos onze, Hermeto e seu irmão mais velho, José Neto, seu parceiro musical, animavam forrós, feiras, bailes, casamentos e batizados.

Em 1950, com quatorze anos, sua família mudou-se para o Recife e junto com José Neto, começou a ganhar dinheiro tocando acordeão em programas das rádios Tamandaré e Jornal do Commercio. Depois do Recife, seguiu para a cidade de João Pessoa para trabalhar na Rádio Tabajara como integrante da Orquestra do Maestro Gomes (1958). Não demorou muito e Hermeto foi levado pelo irmão para o Rio de Janeiro. Na Cidade Maravilhosa, tocava na Rádio Mauá e, nesse período, aprendeu a tocar piano. Sua trajetória artística nacional inclui ainda a cidade de São Paulo (1961) onde formou o Grupo Som Quatro e, mais tarde (1964), o Sambrasa Trio (no qual tocava piano ao lado de Airto Moreira,na bateria e Humberto Claiber, no baixo). Nessa época, aperfeiçoou sua prática em flauta e participou, como flautista, do disco Caminhos, de Walter Santos (compositor, violonista e cantor baiano que sempre valorizou a participação de excelentes músicos e maestros em suas produções musicais).

Em 1965, entrou para o grupo Trio Novo que passou a ser Quarteto Novocom a participação de Hermeto. O grupo tinha propostas novas, misturando ritmos nordestinos com arranjos sofisticados de jazz e dele participavam: Airto Moreira, Théo de Barros, no baixo, e Heraldo do Monte, no violão. Este grupo, que foi destaque da música instrumental brasileira, gravou apenas um disco(1967) e nele encontra-se a primeira composição de Hermeto (O Ovo), clássico da música instrumental. O grupo foi desfeito (1969) com a saída de Airto que viajara para os Estados Unidos.

No início da década de 70, Hermeto foi para os Estados Unidos a convite de Airto Moreira que incluiu em um de seus discos a Gaia de Roseira, música com arranjo de Hermeto. Segundo a crítica inglesa, a melhor música do ano, fato que impulsionou o seu reconhecimento artístico no exterior. Em Nova Iorque, ele se apresentou para uma platéia seleta que incluía, entre outros, Wayne Shorter (considerado um dos mais influentes músicos do jazz moderno) e Miles Davis (trompetista americano, considerado pelos críticos musicais como a “força propulsora do jazz durante mais de quarenta anos”). Miles gostou tanto do que viu e ouviu que convidou Hermeto para participar de um concerto em Washington D.C. O resultado deste concerto foi o disco Live Evil, que traz duas composições de Hermeto, "Capelinha" (Little Church) e "Nem Um Talvez".

Hermeto voltou para o Brasil em 1973 e lançou seu primeiro disco brasileiro A Música Livre de Hermeto Pascoal. Nele estão incluídas as músicasCarinhoso (Pinxinguinha) e Asa Branca (Luiz Gonzaga). Retorna para os Estados Unidos (1977) e grava o disco Slave Mass, elogiado pela crítica e considerado um marco da música instrumental. Neste disco, Hermeto conta com a participação de dois porcos - que, segundo ele, tiveram cada um o seu microfone, e os cachês devidamente pagos.

Entre os anos de 1977 a 1988, Hermeto Pascoal participou de festivais nacionais e internacionais (São Paulo, Berlin e Montreaux), produziu e gravou discos, e sua carreira artística se consolidou no exterior, sendo aplaudido de pé nos festivais internacionais.

Na década de 90, rompe com as gravadoras e passa quase oito anos sem lançar discos. Nesse período, dedicou-se à composição de músicas e a criação de projetos. Em 1999, sua volta ao mercado fonográfico ficou registrada com o lançamento do disco Eu e Eles, pelo selo Rádio MEC, onde ele toca todos os instrumentos convencionais e os que ele mesmo inventa.

Discografia

1969 Brazilian Octopus Fermata
1970 Hermeto Buddah
1973 A Música Livre de Hermeto Pascoal Polygram
1976 Slave Mass WEA
1979 Zabumbê-Bum-Á WEA
1979 Montreaux Jaz Festival Atlantic / WEA
1980 Cérebro Magnético Atlantic / WEA
1982 Hermeto Pascoal & Grupo Som da Gente
1984 Lagoa da Canoa Som da Gente
1986 Brasil Universo Som da Gente
1987 Só Não Toca Quem Não Quer Som Livre
1988 Hermeto Solo: Por Diferentes Caminhos Som da Gente
1992 Festa dos Deuses Polygram
1999 Eu e Eles Rádio MEC

Recentemente (2000), concluiu seu projeto de criar uma composição diferente para cada dia do ano (Calendário do Som).



Recife, 14 de setembro de 2006.

Fontes consultadas

HERMETO PASCOAL. Disponível em: <http://www.ejazz.com.br/detalhes-artistas.asp?cd=182>.  Acesso em: 22 jun. 2006.

HERMETO PASCOAL. Disponível em: <http://cliquemusic.uol.com.br/artistas/hermeto-pascoal.asp>.  Acesso em: 26 jun. 2006.

HERMETO PASCOAL. Disponível em: <http://www.clubedejazz.com.br/ojazz/jazzista_exibir.php?jazzista_id=253>.  Acesso em: 26 jun. 2006.

HERMETO PASCOAL. Disponível em:   <http://www.samba-choro.com.br/artistas/hermetopaschoal >.  Acesso em: 22 jun. 2006.

Como citar este texto

BARBOSA, Virgínia. Hermeto Pascoal. In: PESQUISA Escolar. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2006. Disponível em:https://pesquisaescolar.fundaj.gov.br/pt-br/artigo/hermeto-pascoal/. Acesso em: dia mês ano. (Ex.: 6 ago. 2020.)